23 de nov de 2011

Glutamato monossódico um veneno na nossa alimentação

*As iniciais GMS significa Glutamato Monossódico

O aditivo da comida “GMS” é um Veneno Lento. O Veneno Lento GMS esconde-se atrás de 25 ou mais nomes, assim como “Sabor Natural”. O GMS está também nas marcas de café Tim Horton e outras semelhantes!

Substituindo o ovo na receita

No quibe: ao invés de fazer com PTS (proteína texturizada de soja), faça uma pasta com grão de bico ou de soja em grãos (cozinho, depois passe no processador). No recheio pode colocar pts, tofu, lentilha, brócolis, escarola ou ricota.

No hamburguer/almôndega de PTS: hidrate, espreme bem, tempere e bata pelo menos metade da PTS no mini-processador até virar uma pasta. Misture tudo de novo e acerte o ponto com um pouco de farinha de trigo integral ou branca.

11 de nov de 2011

Cuidados para uma mudança de dieta alimentar sem prejuízos à saúde

1. Estudo de nutrição e fisiologia:

O primeiro passo para mudar a dieta alimentar e construir bons hábitos é entender um pouco sobre os alimentos, suas combinações e como ajudar nosso corpo a absorver melhor os nutrientes. É preciso entender como essa máquina perfeita, que é o nosso corpo, criado por Deus, funciona, quais os

O abate dos animais para consumo


Os animais criados para consumo, são confinados, manipulados especificamente para o aumento de produção, através de genética, medicamentos e técnicas de manejo. Devido às considerações econômicas, eles não recebem analgésicos.
O gado é marcado várias vezes durante sua vida (causando queimaduras de 3º grau), chifres são removidos , castrações pelo corte dos testículos com facas ou forçando sua queda amarrando-os para interromper o fluxo sanguíneo, mais uma vez, por razões econômicas tudo é feito sem anestesia.
Os modernos antibióticos e vacinas são a razão pela qual os animais sobrevivem às condições intensivas até atingirem o peso do mercado ou até que se tornem “ gastos”, ( termo utilizado para vacas leiteiras ou galinhas poedeiras cuja produção cai) e serem mandados para o matadouro. Mesmo quando são criados soltos os animais, muitas vezes passam fome, vivem cheios de parasitas e apanham copiosamente.
Galinhas
As galinhas vivem espremidas em gaiolas do tamanho delas., as luzes ficam acessas até 18 horas por dia – assim elas não dormem e comem mais ( isso acontece principalmente com as que produzem ovos), seus bicos são cortados sem anestesia.
O corte dos tecidos delicados com a faca causa dor que persiste por semanas ou até meses. Algumas aves não conseguem comer após o corte dos bicos e morrem de fome. Esse procedimento é feito para que elas não matem umas as outras e para evitar que elas escolham a parte da ração de sua preferência – caso contrário, ciscariam apenas os grãos de seu agrado e deixariam de lado os alimentos que servem para que engordem mais rapidamente.
Porcos
Porcos não têm espaço nem para se deitar confortavelmente. São confinados do nascimento ao abate. As gestantes são forçadas a parir atadas a uma fivela apertada na baia.
Pela sua natureza, os porcos são curiosos e normalmente passariam metade do tempo cavando a terra. A frustração do confinamento faz com que lutem e mordam suas caudas. A resposta da indústria é o corte das caudas e a castração dos porquinhos para torná-los menos agressivos sem o uso de anestesia.
Ser impedido de realizar os instintos mais básicos é motivo de enorme sofrimento. Mesmo os animais criados em gaiolas desde que nasceram sentem necessidade de se mover, esticar as asas ou membros e fazer exercícios.
Rebanhos ou bandos de animais ficam estressados quando são criados isolados ou quando são confinados em grupos muito numerosos, pois têm dificuldade para reconhecerem os outros membros. Além disso, todo o animal confinado sofre de intenso aborrecimento, o que pode provocar um comportamento autodestrutivo.
Transporte
Quando são levados aos matadouros os animais são prensados ao máximo possível nos caminhões para minimizar os custos. Eles vivem nos excrementos uns dos outros e são expostos a condições severas de temperaturas em caminhões abertos, ficam sem água ou alimento por longos períodos de tempo. Em vista disso, muitos morrem a caminho.
Abate – boi
Para se abater um boi de maneira “humanitária”, primeiro se dá um disparo na testa com uma pistola de ar comprimido. O tiro deixa o animal desacordado por alguns minutos- ele então é erguido por uma argola na pata traseira e sua garganta é cortada.Os animais são sangrados até a morte ainda conscientes. O abate a marretada é proibido, o que não quer dizer que não aconteça, já que 50% dos abates são clandestinos e, portanto, sem fiscalização. Como não é fácil acertar o boi com o primeiro golpe, muitas vezes são necessários dezenas para desacorda-lo.
Abate – galinhas
As galinhas são despejadas como lixo dos caminhões que as traze; são colocadas em ganchos que fazem parte do sistema de abate automático, sofrem uma descarga elétrica que deveria causar a inconsciência , mas essa corrente é reduzida causando somente dor (níveis maiores de corrente endurecem a carne).
Vão para o próximo estágio com plena consciência, passam por máquina que vai degolando o pescoço, são imersas em um banho escaldante, depois vão para a área onde serão depenadas.

Como substituir a carne?


Se você, amigo leitor, está lendo este artigo, é porque se preocupa com a saúde e quer descobrir quais são as maneiras corretas de nos alimentarmos. É exatamente para isso que o Portal Tudo Para Vegetarianos existe, para lhe auxiliar nessas descobertas e escolhas!
E neste mês especial do vegetarianismo, por quê não descobrirmos a resposta para a pergunta que é uma das mais presentes para os vegetarianos? Como substituir a carne? Onde encontrar os nutrientes, vitaminas e tudo o mais que são encontrados na carne? É realmente possível substituí-la? Vamos descobrir juntos com O Grande Nutricionista!
Carne na dieta humana
Um dos pontos marcantes em relação à carne na dieta humana ocorreu há muitos anos no êxodo do povo de Israel para a terra prometida. Nesse caminho, o povo começou a murmurar pelas “panelas de carne” do Egito. No livro de Números, capítulo 11 e versículo 4, lemos:
“Os filhos de Israel tornaram a chorar, e disseram: Quem nos dará carne a comer?” e então o Senhor responde: “E dirás ao povo: Santificai-vos para amanhã, e comereis carne; porquanto chorastes aos ouvidos do SENHOR, dizendo: Quem nos dará carne a comer? Pois íamos bem no Egito; por isso o SENHOR vos dará carne, e comereis; Não comereis um dia, nem dois dias, nem cinco dias, nem dez dias, nem vinte dias; Mas um mês inteiro, até vos sair pelas narinas, e sejas detestável a vós; porquanto rejeitastes ao SENHOR, que está no meio de vós, e chorastes diante dele, dizendo: Por que saímos do Egito?” Números 11:18-20.
Podemos claramente perceber que a carne não era o desígnio original de Deus na dieta humana. Por quê, então, Deus permitiu o consumo de carne na dieta? Para fazer com que o povo percebesse os malefícios que ela traria ao corpo e, consequentemente, à mente.
Fatos
Um dos argumentos mais utilizados a favor da carne é que nela tem grande parte dos nutrientes necessários para nosso corpo e muitas vezes é até dito que a proteína encontrada na carne é essencial e tem de, obrigatoriamente, ser suplementada por vegetarianos estritos. Mas seria isso verdade?
Um fato que muitos desconhecem (ou conhecem e não acham relevante), é que, apesar de ter muitos nutrientes na carne, há muita gordura em sua composição (mesmo esta sendo grelhada ou assada) e elementos complexos para nossa digestão. Isso ocasiona um processo digestivo com duração muito maior, o que pode durar até mais de 24 horas! Nesse tempo, a carne entra em processo de putrefação dentro de nosso organismo, o que prejudica muito a saúde. Além disso, não precisamos somente de proteína para termos energia e disposição, mas todas as substâncias necessárias para processarmos essas proteínas, o que achamos livremente na grande variedade de alimentos do reino vegetal.
Em contra partida da alimentação desequilibrada que tinham no Egito, Deus deu ao povo de Israel um alimento muito interessante, simples e especial.
“E quando o orvalho se levantou, eis que sobre a face do deserto estava uma coisa miúda, redonda, miúda como a geada sobre a terra. E, vendo-a os filhos de Israel, disseram uns aos outros: Que é isto? Porque não sabiam o que era. Disse-lhes pois Moisés: Este é o pão que o SENHOR vos deu para comer” Êxodo 16:14-15.
“E era o maná como semente de coentro, e a sua cor como a cor de bdélio. Espalhava-se o povo e o colhia, e em moinhos o moia, ou num gral o pisava, e em panelas o cozia, e dele fazia bolos; e o seu sabor era como o sabor de azeite fresco. E, quando o orvalho descia de noite sobre o arraial, o maná descia sobre ele” Números 11:7-9.
“E chovera sobre eles o maná para comerem, e lhes dera do grão do céu. O homem comeu o pão dos anjos; ele lhes mandou comida a fartar” Salmo 78:24-25.
Que privilégio deve ter sido para o povo de Israel comer o “pão dos anjos”! Uma comida simples, que satisfazia tanto as necessidades do paladar quanto as nutricionais do povo. Deus nos dá o mesmo hoje em dia para “substituirmos” a carne.
Dieta original: aplicando com sucesso
“Cereais, frutas, nozes e verduras constituem o regime dietético escolhido por nosso Criador. Estes alimentos, preparados da maneira mais simples e natural possível, são os mais saudáveis e nutritivos. Proporcionam uma força, uma resistência e vigor intelectual, que não são promovidos por uma alimentação mais complexa e estimulante.” A Ciência do Bom Viver, p. 295-296.
Com essa afirmação, podemos sem medo substituir a carne pelos alimentos simples e acessíveis que estão à nossa disposição. Para uma substituição eficaz, é necessário também a ingestão desses alimentos de uma maneira organizada, combinando-os corretamente. Castanhas, nozes , amêndoas e sementes devem estar presente nas refeições, pois proporcionam excelentes níveis de proteína. Aproveite cada dia da variedade que Deus lhe deu de frutas, legumes, cereais, nozes, verduras e tenha a certeza de que, ao fazer a escolha por uma dieta saudável, não irão lhe faltar recursos para “substituir” a carne, pois Deus estará lhe acompanhando e ensinando, basta disposição!

Estudo aponta consumo de carne com câncer


Um estudo divulgado no Jama (revista da Associação Médica Americana) aponta relação entre o consumo de carne vermelha e carnes processadas e maior número de mortes por câncer e problemas cardiovasculares. A pesquisa, uma das maiores já realizadas, analisou dados de 500 mil norte-americanos de 50 a 71 anos de idade. Em dez anos de acompanhamento, morreram 47.976 homens e 23.276 mulheres. Para os pesquisadores, 11% das mortes em homens e 16% das mortes em mulheres poderiam ser adiadas se houvesse redução do consumo de carne vermelha para 9g do produto a cada 1.000 calorias ingeridas – o grupo que mais ingeriu carne vermelha (68g a cada 1.000 calorias) foi o que apresentou maior incidência de morte. No caso das doenças cardiovasculares, a diminuição dos riscos chegaria a 21% nas mulheres se houvesse redução. “A carne processada tem mais sal e gordura saturada, o que aumenta chances de doenças cardiovasculares”, diz Daniel Magnoni, nutrólogo e cardiologista do Hospital do Coração.

Para o cardiologista Marcos Knobel, coordenador da unidade coronária do hospital Albert Einstein, além da gordura da carne, o problema é o preparo e os outros alimentos que são somados à refeição. “Se a pessoa come um bife à milanesa ou um bife com ovo frito, já estourou de longe a cota de colesterol.”
Além disso, ele alerta para os condimentos. “O sal aumenta o risco de hipertensão arterial sistêmica. Se a carne for processada, é pior porque, além do sódio, geralmente tem óleos para a conservação.”

Os riscos de câncer estão principalmente relacionados à forma de preparação de qualquer tipo de carne. Sabe-se que, durante o cozimento em altas temperaturas, são formadas aminas heterocíclicas, substâncias reconhecidamente cancerígenas. As maiores temperaturas são atingidas ao grelhar na chapa e fritar com pouco óleo o alimento. Por esse motivo, indica-se a preparação no forno ou em um cozido.

O churrasco também traz perigo. Durante a preparação, a fumaça do carvão libera alcatrão e hidrocarbonetos policíclicos aromáticos, substâncias também cancerígenas. “A associação é feita principalmente com as carnes vermelhas, porque elas são preparadas mais frequentemente em churrasco ou na chapa”, afirma Fábio Gomes, nutricionista do Inca (Instituto Nacional de Câncer).

Segundo o cirurgião oncológico Benedito Mauro Rossi, do Hospital A.C. Camargo, a relação entre consumo de carne e câncer está muito estabelecida, inclusive no Brasil. A distribuição geográfica do câncer do intestino, por exemplo, mostra que no Amapá, a incidência do tumor é de 1,51 caso por 100 mil habitantes, enquanto no Rio Grande do Sul, a terra do churrasco, a incidência é de 28,5 por 100 mil habitantes.

Outro mecanismo desencadeante de câncer seria o excesso de ferro no organismo, ocasionado pelo alto consumo de carne vermelha, importante fonte do mineral. Muito ferro pode causar danos oxidativos e agredir as células do intestino grosso, o que leva ao câncer.
Já as carnes processadas, como linguiças, charque e hambúrgueres, são conservadas com nitritos e nitratos, substâncias, que, no estômago, são transformadas em nitrosaminas, que aumentam as chances de ocorrer um câncer no estômago e no intestino. A recomendação da OMS (Organização Mundial da Saúde) é de que a ingestão de carne (excluindo frango e peixe) não ultrapasse os 300g por semana [imagine então os benefícios da eliminação da dieta cárnea...].
Fonte: Folha Online


Proteína vegetal x Proteína animal: Entenda as conseqüências do consumo e faça a sua escolha


As proteínas são o material de construção que consiste a estrutura básica do nosso corpo. Estas possuem um papel importantíssimo de construção e manutenção dos tecidos, atuam como enzimas, ajudam na coagulação do sangue, no sistema imunológico, na construção e reparo do DNA, além de produzir energia e realizar muitas outras funções.
Já foi abordado em um outro post do Portal Tudo para Vegetarianos, importância das proteínas na alimentação vegetariana. Se você ainda não leu, clique aqui para ver a matéria completa!
Hoje iremos comparar dois tipos de proteínas: a “vegetal e a animal”, seus benefícios e malefícios. Compare você mesmo e faça a escolha correta.

Proteína vegetalProteína animal
Sistema imunológicoRica em aminoácidos arginina e pobre em lisina, os quais são os melhores para o sistema imunológico.Rica em lisina e pobre em arginina. Prejudicam a habilidade do corpo para lutar contra doenças.
DigestãoContêm vitaminas e mineiras que ajudam na digestão das proteínas.Requer digestão gástrica prolongada, gerando fermentação e liberação de mais ácido para a digestão. Os resultados são: azia, gastrite e formação de úlcera.
Doença cardíacaProduz níveis altos de arginina e glicina no sangue, ajudando a prevenir o entupimento das artérias.Rica em gordura saturada, aumenta o colesterol e promove o estreitamento, endurecimento e aumento de placas nas artérias. Eleva os níveis de homocisteína no corpo. Esse aminoácido eleva três vezes mais a possibilidade de sofrer um ataque cardíaco.
CâncerA proteína da soja, por exemplo, é anti-oxidante, antiangiogênica e imunossupressora.A proteína animal, quando consumida, é parcialmente digerida, entrando no cólon (intestino). Quando os níveis de carboidratos são baixos, as bactérias no cólon utilizam os resíduos dessas proteínas e liberam amônia no processo. A amônia está relacionada ao câncer de cólon. Produtos animais contêm mutagênico, os quais alteram o DNA, tornando a célula vulnerável ao vírus do câncer. Existe uma forte ligação entre a alta ingestão de proteína animal e câncer de cólon, das mamas, pâncreas e próstata.
Doenças degenerativasOs aminoácidos da proteína animal são ricos em súlfur, que estão associados a várias doenças degenerativas como câncer de pele, câncer de cólon e artrite reumatoide.
OsteoporoseRica em súlfur e sódio, remove o cálcio dos ossos. Causa também perda urinária de fósforo, ferro, zinco e magnésio.
RinsEspecialmente a linhaça, favorece a função renal.Grande quantidade de proteínas aumenta a quantidade de sangue no local levando um aumento das dimensões dos rins e causando lesões. Leva também à formação de pedras renais.
Artrite gotosaCristais de ácido úrico podem se formar nas articulações quando a concentração de ácido úrico é elevada, causando artrite gotosa.
Controle do pesoRico em gorduras, contribuindo para a obesidade.
Litíase biliarReduz a formação de pedras na vesícula.Proteínas como caseína aumentam a formação de pedras.
PuberdadeCom o consumo alto de proteína animal, a maturação sexual das meninas caiu de 17,5 para 11,9 anos.
Efeitos no cérebroProduz neurotransmissores falsos, levando ao desequilíbrio do cérebro, deprime o córtex, onde estão os pensamentos elevados, mas aumentam a atividade nos centros cerebrais onde estão localizados os pensamentos e sentimentos de natureza baixa.

Escolha hoje ter um corpo com muito mais saúde, uma mente capaz de discernir o certo e errado e a força para vencer as tentações. Um corpo doente produz uma mente doente, nos separando do divino e nos levando cada vez mais perto das paixões desse mundo.
Encorajamos a você a mudar sua dieta, pelo motivo que for. Você, com certeza, sentirá os milhares de benefícios dessa mudança.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...